her é um filme escrito e realizado por Spike Jonze. Um filme em que a ficção pode ser realidade e onde as semelhanças com as nossas vivências não são, totalmente, fortuitas. A película descreve um universo em que os computadores têm consciência de si próprios e de outrem. Um universo em que os computadores inter-reagem com cada um de nós. Assim, Spike Jonza remete para uma era digital que, no fundo, pode estar mais ou menos próxima. 

 

Teodoro vive na cidade de Los Angeles, urbe em que tudo pode ser possível. Teodoro domina perfeitamente bem a escrita. Sabe fabricar as boas frases e encontrar as palavras exactas para descrever os sentimentos e falar de amor.  

Apesar destas qualidades, Teodoro vive só, sofrendo com a solidão. O seu apartamento, o seu lar é demasiado grande e, esse espaço, reenvia-o para o divorcio, para o falhanço do seu único casamento com Catarina. Os jogos vídeos, os vários ornamentos em 3D não compensam as noites solitárias. 

Para combater o vazio e o tédio da sua vivência, Teodoro investe na compra dum programa informatico, uma inteligência artificial concebida para se adaptar à personalidade de cada humano, ou seja, a voz de Samanta. E, assim, a voz feminina suave, intuitiva e divertida de Samanta vai seduzir Teodoro que, pouco a pouco, vai ficar loucamente apaixonado.

Eis o ponto de partida para um idílio insensato e irreal. A magia do relato assenta nos inúmeros detalhes agenciados por Spike Jonze, tal como a proeza dos actores, tornando realista, romântico e poético o que, inicialmente, não o era.

 

 

Ficha Técnica: her, realizado por Spike Jonze, com Joaquin Phoenix, Amy Adams, Rooney Mara, Chris Patt... - voz de Scarlett Johansson / USA 2014, 2h06, cores

 

Nuno

 

 

 

 

por PortoMaravilha | link do post

 

BD "Le bleu est une couleur chaude", p.79

 

O ideal é sempre poder ver um filme sem saber demasiado a seu respeito.

E o essencial é: Pela primeira vez, na história do cinema, uma adaptação duma Banda Desenhada à tela ganhou um prémio prestigioso, a Palma de Ouro 2013. A critica e os espectadores são unânimes quanto à beleza da fita.

La vie d'Adèle, realizado por Abdellatif Kechiche, não é, contudo, uma adaptação totalmente fiel do livro Le bleu est une couleur chaude, concebido e desenhado por Julie Maroh, na medida em que o relato final é diferente.

 

La vie d'Adèle, embora proibido aos menores de 12 anos, não é um filme pornográfico. É, isso sim, a narração duma aprendizagem iniciática na qual o questionamento da paixão ultrapassa a problemática da orientação sexual. No final, um tema clássico: O amor absoluto e a sua compatibilidade com as exigências culturais e sociais...

 

 

Fontes: Extrato do filme; ilustração - detalhe da Bd, p.79, ed. Glénat 

Nuno

por PortoMaravilha | link do post

 

 

(clicar para ampliar / cliquez pour agrandir)

 

Tendo contacto com «a rede» e revendo-me nela, cosidero-me pertencente àqueles apelidados pela geração web, surgida nos anos 90.
Nessa mesma década, profissionalmente, tive de contornar o que já me era completamente estranho e considerava arcaico, a solicitação de contacto via Telefax, perguntando de imediato as empresas do outro lado da linha: "Qual é o  seu email"? 

 

Sou do tempo e "estive por dentro" do Mirc, dos chats, do estouro do vídeo online e em tempo real, tudo ainda no sec. XX. Ou agora no XXI, sou igualmente apolinário da blogosfera ou das redes sociais.
De modo que acaba por ser intrinseco e pacifico entre as novas gerações o descriminar abertamente «na rede» as suas etapas de vida, alguns dados pessoais, fotos, e gostos pessoais online. E toda esta prosa para aqui chegar: à lista de gostos pessoais.

 

Carlos Lisboa teve sempre um lugar cativo nos meus gostos, e foi sempre transportado no meu leque de "exemplos de atitude de vida" pessoais. O basketball foi o único desporto que levei mais a serio enquanto praticante, e de atividade escolar.

A lista apresentada na imagem inicial, foi a única que, entre  as outras várias de preenchimento para o perfil, quando a compus, tive o cuidado da manter por ordem cronológica, conforme fui estabelecendo contacto emocional com os atletas que considero influentes e exemplos relevantes a destacar.

Tal como Cristiano Ronaldo nunca me foi considerado digno de entrar nesta galeria desportista pessoal, onde como digo, pesa mais e sobretudo o exemplo de atitude do atleta do que os êxitos desportivos em geral (porque para mim desporto é isso: formação de pessoas) - depois disto, Carlos Lisboa e pior: enquanto treinador (formador) em que o atleta se veio a tornar, também não podia lá continuar. 

 

O problema não é o errar. O grave é não reconhecer, não emendar.
Impresionante como a clubite acaba por destruir personalidades que um dia já foram, acima de tudo, icones nacionais.
Tristes os que se revêem na sua atitude e como exemplo a louvar...
No dia Internacional da criança, talvez vale-se a pena pensar em que "homens" estamos a formar.
Paulo Jerónimo
por MrCosmos | link do post

 

Projetos ACTA; SOPA ou PL118 começam a "azedar" ficando comprometidos

 

Subrecreve-se de seguida a mensagem remetida para a caixa postal do Cosméticas.

Quando em questão estão  direitos tão básicos comoa liberdade ou a democratização da informação acessivel para todos - e é disso que se trata - então não pode haver meias tintas: ou alinhas de um lado ou do outro. 

Ou bom...  podes também ficar numa  confortavel posição onde entre o comer papas e bolos se vão enganam os tolos...

Porque é o advento trazido pela internet, e o "baixo custo" dos suportes tecnologicos cuja evolução industrial os colocou a preços da "uva mijona" e acessível a todos, que estão em causa.

 

Aqui, o nosso lado é bem claro, nem podia ser outro: viva a tecnologia de custo acessivel, e longos anos a rede mundial de informação e comunicação (internet) que estão a ser fortemente atacados pelos poderes mundiais.

Apesar disso, a força e protesto de cidadãos por todo o mundo começam a comprometer os intentos dos lobies nacionais e internacionais.

A saga continua...

Paulo Jerónimo.

 


  

Por Alex Wilks - Avaaz.org

Caros amigos,



Políticos por toda a Europa começaram a retirar seu apoio ao perigoso tratado ACTA. Os protestos em massa deste final de semana são a nossa oportunidade para enterrar o ACTA de uma vez por todas. Clique para se juntar ao dia de ação, presencial ou virtualmente. Vamos vencer!

Take action now

Em 24 horas, pessoas em todo o planeta se juntarão a um protesto de rua global para enterrar o ACTA de uma vez por todas.

Nesta semana nossa massiva petição do ACTA com 2 milhões de assinaturas causou ondas de choque em Bruxelas, e acabamos de descobrir que a Alemanha colocou o ACTA no refrigerador e outros governos estão quase seguindo o mesmo caminho. Se a Europa disser não ao ACTA, o tratado morrerá! Estamos no momento certo. Se quantidade suficiente de nós se juntar aos protestos amanhã, podemos garantir a nossa liberdade online e o fim do pesadelo de censura do ACTA.

Vamos comparecer aos milhares para protestar ou, se não pudermos comparecer presencialmente (a maioria dos protestos acontecerão na Europa), envie mensagens de solidariedade para nossos amigos cidadãos que estarão nas marchas. Clique aqui para usar nosso mapa e encontrar um evento próximo, ou deixe uma mensagem de solidariedade para os manifestantes:

http://www.avaaz.org/po/acta_day_of_action_hub/?vl

Nossa massiva petição do ACTA foi pessoalmente entregue a políticos líderes da União Europeia em Bruxelas esta semana na medida em que alcançava a marca de 2.2 milhões de assinaturas, e contando. O parlamento europeu está escolhendo um novo responsável pelo tratado neste exato momento. Vamos garantir que esta pessoa perceba que o ACTA é quente demais para segurar.

Quatro governos ocidentais europeus, e agora a Alemanha, acabaram de dizer que vão protelar a sua decisão sobre o tratado. Mas se centenas de milhares de pessoas participarem de milhares de manifestações por toda a Europa amanhã, podemos garantir que todos os políticos nos 27 países membros da União Europeia tomem conhecimento de que o povo não quer o ACTA e continuará a se mobilizar até que a ameaça esteja enterrada.

Aqueles de nós que estiverem na Europa podem se juntar aos protestos. E todos nós podemos enviar mensagens de solidariedade para encorajar o povo presente nas manifestações a usarem as mídias sociais para aumentar a pressão sobre alguns parlamentares mais importantes. Clique aqui para acessar a página de ação, e conte para todos:

Mais uma vez, mostramos que o poder do povo pode funcionar. Quando nossas liberdades fundamentais estão em risco, e atuamos juntos, podemos criar uma força imparável que faz os políticos fugirem do lobby das corporações, e trabalharem para os interesses de todos nós. Façamos isso mais uma vez.

Com esperança e determinação,
Alex, Alice, Pascal, Emma, Ricken, Maria Paz, Luis e o restante da equipe da Avaaz

 

--
Links para mais informações :

Movimento webactionnow.com (em Inglês e francês)  

Alemanha adia assinatura de tratado anti-pirataria (Público)
ACTA vai além da proibição de downloads (Radio Nederland)
Activistas portugueses "ensaiam coro" para manifestação anti-ACTA (Sapo Notícias)
ACTA: Processo de censura na internet tropeça em países europeus (Esquerda Net)
Se você achava que SOPA era ruim, espere até conhecer o ACTA (em inglês) (Forbes)
ACTA vs. SOPA: Cinco razões pelas quais o ACTA é a ameaça mais assustadora para a liberdade na Internet (em inglês) (IB Times)
O tratado secreto: ACTA e seu impacto no acesso a medicamentos (em inglês)

 

 

por MrCosmos | link do post

 

 

 

Em poucas horas chuvas violentas e ventos que se assemelhavam a furacões mataram várias pessoas no sul da França nos dias 5 e 6 de Novembro.

Milhares de pessoas ficaram privadas de electricidade e de água potável.

Esta mesma violência dos elementos naturais também matou na Itália.

Algo nunca visto nos arquivos.

E continuam a nos quererem evangelizar: O Turbo liberalismo não é responsável pela ganância, pelo betão e etc. e tal...

Talvez, Rui Veloso, com a sua bela canção, Beirã, tivesse 30 anos de avanço...

 

Este post deve ser lido como a continuação de: "Sinais do tempo"

Fotos: Libé, p.19, 7 de Nov. de 2011.

Nuno

por PortoMaravilha | link do post

 

 

 

A obra de Mia Couto, Jerusalém, conhece um sucesso editorial, em França, fora do comum.

Publicada pelas edições Métailié, com o título L'accordeur de Silences, o texto de Mia Couto tornou-se ume referência.

Para Philippe Lançon que, no Libé de quinta passada (20 de Out), dedica duas páginas à análise da obra de Mia Couto, o livro assume "a arte do relato pela poesia".

 

A tradução do Português (Moçambique) é de Elisabeth Monteiro Rodrigues.

 

Imagem: Télérama, 17 de Ag de 2011, (imagem que ilustra a análise de Marine Landrot sobre o livro de Mia Couto), p.44

Este post pode e deve ser lido como a continuação de Google: Sabe traduzir Pessoa?

Nuno

por PortoMaravilha | link do post

 

 

 

Parece-me que existe uma obra indispensável para melhor compreender a evolução do jornalismo :

"L'Etat séducteur: Les Révolutions médialogiques du pouvoir" de Régis Débray.

Se esta obra data de 1993 e que o seu teor teórico pode ser posto em causa, também não é menos verdade que nos lega um testemunho indispensável, o de Jean Claude Guillebard, jornalista do Sud-Ouest-Dimanche em 1970.

 

Leia-se:

"... Esperava-se dos nossos artigos que estes emocionassem, raramente, que explicassem. O Biafra esperava que nos interessássemos pela sua causa e, nós, ocupámo-nos, prudentemente, dos seus sofrimentos. O Biafra, por isso, morreu."

 

Fonte: Obra citada, p. 117, Paris, Gallimard, 1993 /  Foto: Contra capa da revista Latitudes, jun 2011

Nuno

por PortoMaravilha | link do post

 

Um Americano, algo criador, decidiu brincar virtualmente.

Decidiu fingir que era uma homosexual que vivia em Damasco.

Páginas de apoio são criadas... O planeta parece se mobilizar...

 

Só que...

O blog, A gay girl in Damascus, para se ilustrar roubou a foto duma Croata no Facebook.

 

 

Os mídia que cairam na brincadeira não apreciaram...

Foto: Télérama, nº 3206, p.178 /  Fonte: mídias fr

Nuno

por PortoMaravilha | link do post

 

 

 

Quem pode ainda acreditar que Facebook é um espaço de Liberdade, de Igualdade e de Fraternidade?

Esta foto foi tirada aquando da realização do e-g8, em Maio, em Paris. O Tio Patinhas, criador da Facebook, oferece uma camisola, com o logo da sua empresa, ao presidente Francês.

 

Foto :Télérama, nº3203, Junho de 2011.

Este post deve ser lido como a continuação de : "Facebook : A Censura não rima com Arte..."

Nuno

por PortoMaravilha | link do post

 

 

 

Greenpeace alertou para que Facebook deixasse de ser uma empresa poluidora.

Empresas que funcionam com energia eléctrica derivada do carvão ? Não Obrigado !

O vídeo de Greenpeace (ver aqui) alerta para tal questionamento.

 

foto : Greenpeace, nº 89, p.5

relacionados: A Transmissão Simbólica, Folheto nº 10

Nuno

por PortoMaravilha | link do post

 

 

 

Após ser, no passado, Alvaro Siza, hoje é Souto de Moura quem é premiado com o Pritzker Prize em 2011.

O estádio municipal de Braga é o único estádio de futebol Português que sabe conjugar a memória com o presente.

O diário Libération cobriu timidamente a notícia (Link), já que parece que esta foi divulgada por un blog com quatro dias de antecedência.

 

Fonte : Libé, 29 de março de 2011, p.31

Nuno

por PortoMaravilha | link do post

 

 

 

Facebook  censurou a página dum  internauta Francês que publicou o quadro de Courbet :   'A origem do Mundo'.

Porquê ?

 

Até hoje, quase ninguém se lembra que Orlan paradiou A origem do Mundo de Courbet, dando-lhe o título de : 'A origem da guerra'.

Porquê ?

 

Este post pode ser lido como a continuação de "A Transmição simbólica : Folheto nº2 "

Nuno

por PortoMaravilha | link do post

 

 

O 12 de Março de 2011 que se aproxima, começa a inquietar alguma (bastante?) gente.

Tentativas de colagens, distorção da mensagem, juízos de valor da juventude que se propõe a levantar a voz, e outras demais leituras de intenções travessas, aos objectivos pretendidos pelos auto-intitulados, e passando a citar: “quinhentoseuristas e outros mal remunerados, escravos disfarçados, subcontratados, contratados a prazo, falsos trabalhadores independentes, trabalhadores intermitentes, estagiários, bolseiros, trabalhadores-estudantes, estudantes, mães, pais e filhos de Portugal" - vão sendo apontados pelos fazedores de opinião habituais nos médias portugueses - como sempre do alto de sua "cátedra" sem sequer levantarem o cu de seus "cadeirões", e sem quererem perceber melhor o que realmente está em causa - como sendo a pura e dura demagogia que está para sair à rua, e que isso é... perigoso.

 

Tamanho "tiro no pé", como o que  Miguel Sousa Tavares deu ontem no Jornal da noite da SIC (link), só me ocorre  realmente o idêntico que Vicente Jorge Silva deu, no famoso editorial do Jornal 'O Púlico' de 1993, baptizando esta mesma geração que 20 anos depois quer voltar à rua, de "Geração Rasca".

O Movimento Organizador para 12/3 da 'Geração à Rasca', já exigiu, o respectivo direito de resposta ao canal. E era o que se lhes exigia fazer... (aqui) .

Entretanto, o manifesto de intenções vai-se clarificando, no site da organização, apoiado por uma já considerada poderosa arma, nos dias que correm,  de seu nome Facebook, convencendo cada vez mais adeptos, e começa a conseguilos de todos os quadrantes profissionais, mais ou menos habilitados, mais ou menos qualificados.

De Lisboa e Porto, as concentrações já se alargaram neste momento, e estão marcadas para o mesmo dia, para outras cidades:

Braga; Castelo Branco; Coimbra; Faro; Guimarães; Leiria; Ponta Delgada; e Viseu.

 

Depois do forte interesse e curiosidade, rodeado de alguma "graça", que a comunicação social começou por dar e exibir aos espicaçados jovens pela canção dos Deolinda, estes meteram mãos à obra, e a fase dos aconteciemntos agora passa mais por um "afiar de facas" perante as proporções do evento que ameaça meter respeito. Caso para perguntar: 12 de Março será "uma tarde de facas longas"? Ficará, ou passará?

 

por MrCosmos | link do post

 

 

Um internauta teve a brilhante infeliz ideia de apresentar uma reprodução, na sua página, do quadro de Courbet :

A Origem do Mundo (link).

Este mesmo internauta, por isso,  perdeu a sua conta no facebook.

É que facebook confunde alhos com bugalhos.

Pelos vistos,  Facebook não entende a pintura clássica !

Pior ainda : Este acto de censura não é neutro.

Este é o resultado de denúncias que pensam que o quadro de Courbet é um ataque contra a "arte correcta".

Facebook quer a leiteira, o leite e o dinheiro do leite ?

Facebook é uma máquina normativa que, cada vez mais, tem dificuldades em se apresentar como a expressão da liberdade e da diversidade humana.

 

Foto : Télérama, 2 de Março de 2011, p.14

Nuno

por PortoMaravilha | link do post

 

Algo que me deixa perplexo :

Muitos analistas não repararam que quase toda a imprensa internacional escrita, citando a actualidade de Tunis até ao Cairo, omite o papel da rádio no desempenho dos acontecimentos nestes dois países.

 

Como se a rádio não existisse !

Porquê ?

Nuno

por PortoMaravilha | link do post

foto perfil.jpg

pauloc.jeronimo@gmail.com

pesquisar
 
arquivos
2017:

 J F M A M J J A S O N D

2016:

 J F M A M J J A S O N D

2015:

 J F M A M J J A S O N D

2014:

 J F M A M J J A S O N D

2013:

 J F M A M J J A S O N D

2012:

 J F M A M J J A S O N D

2011:

 J F M A M J J A S O N D

2010:

 J F M A M J J A S O N D

2009:

 J F M A M J J A S O N D

Controle de invasão ET
comentários recentes
Hand ball is actually a nice game to watch. I firs...
Children are not good with lies. They doesnt know ...
Woww!!! I am glad you have shared this old picture...
Alors, dit-il,Au Revoir ! , dit-elle. Alexandre O'...
Jovem, apesoado, dotado, submisso, procura homem d...
nice work, I can see your point, I can't agree wit...
nice work, I can see your point, I can't agree wit...
nice work, I can see your point, I can't agree wit...
nice work, I can see your point, I can't agree wit...
nice work, I can see your point, I can't agree wit...
nice work, I can see your point, I can't agree wit...
nice work, I can see your point, I can't agree wit...
nice work, I can see your point, I can't agree wit...
nice work, I can see your point, I can't agree wit...
nice work, I can see your point, I can't agree wit...
nice work, I can see your point, I can't agree wit...
nice work, I can see your point, I can't agree wit...
nice work, I can see your point, I can't agree wit...
nice work, I can see your point, I can't agree wit...
nice work, I can see your point, I can't agree wit...
.